quinta-feira, 3 de maio de 2018

CONJUNTO: VESTIDO e POCHETE

     Com o que sobrou do tecido do vestido fiz a pochete almofadada. 
     Utilizei pacotes de leite e um colar de "pérolas" para decorar. 
     O vestido é forrado, tem dois bolsos frontais e fecha com fecho invisível.
   Tanto o vestido como a pochete foram peças criadas e concebidas por mim de raiz.









domingo, 7 de janeiro de 2018

UMA NOVA VIDA

RESTAURAÇÃO DE CADEIRAS



Por vezes temos em casa uns móveis aos quais popularmente se costuma chamar de “tarecos velhos”, porque para nós estão a finalizar o seu ciclo de utilidade e de vida. O seu destino será a lixeira ou então a lareira, onde cumprirão a sua última função de conforto, aquecendo-nos no inverno.
Mas, pensando bem, por uma questão afetiva, porque nos fizeram companhia durante um período da nossa existência, mas também por uma questão de estética, porque podem ficar bem com um novo visual, resolvemos dar-lhes uma segunda vida.
Foi o que sucedeu com as cadeiras que apresento neste trabalho.
Primeiro despreguei o tampo, retirei todos os pregos e colei as juntas da madeira. Depois, com umas folhas de lixa, desgastei a velha superfície e o tom da cor de origem, apliquei uma demão de primário, duas demãos de tinta castanha e outras duas de tinta branca a qual, ainda ligeiramente fresca, raspei com uma faca para lhe conferir uma tonalidade rústica.
Numa segunda fase cosi vários pedaços de pele de casacos já sem uso, que apliquei no estofo do assento, dando-lhe outro requinte e comodidade.
Finalmente fixei o estofo com grampos, na parte de baixo, e com tachas na parte frontal.

E assim, as cadeiras velhas e desengonçadas, depois de coladas, pintadas e de estofos reciclados, tiveram a oportunidade de ter uma segunda vida e de vencer o tempo. 

ANTES



DURANTE

  
OS CASACOS

OS ESTOFOS REUTILIZADOS

APLICAÇÃO DOS ESTOFOS


RESULTADO FINAL




sábado, 9 de dezembro de 2017

DIGA SIM À REUTILIZAÇÃO!




Os trabalhos que vou apresentar são o resultado de muito tempo despendido e alguma criatividade, mas igualmente de um conceito que faz parte do meu dia a dia: dizer sim à reutilização.
        Os garrafões de vidro, mais de 10, foram encontrados junto a um contentor de lixo na Vila da Chamusca. Com a ajuda da família e de um amigo, foram carregados nos porta bagagens dos nossos carros e trazidos para a minha casa. A ideia não era voltar a enchê-los de vinho mas sim, depois de bem lavados, transformá-los em objetos para decorar o interior de uma ou várias casas.

        Assim, com filtros de café usados, restos de linhas e contas de cordões partidos, se deu corpo a estes objetos decorativos.



Os sacos para guardar castanhas quentes foram concebidos com os retalhos de vários tecidos. Costurei-os numa ideia de puzzle à qual dei um toque mais sensível, através do pormenor das castanhas terem sido todas bordadas à mão.





Os bibes são uma montagem, agregando vários tons de gangas usadas e de outros retalhos de tecido, transformando-os em elegantes e úteis peças de vestuário para serem usadas por auxiliares educativas, educadoras de infância e por qualquer mulher no trabalho diário do seu lar.






Resumindo: se tivesse deixado ficar no lixo os garrafões e se para lá tivesse atirado os restos de gangas, tecidos, linhas e contas, teria sido um desperdício.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

DE VOLTA À ESCOLA

       As nossas crianças estão de volta à escola para o início de mais um ano lectivo.
       É um tempo de responsabilidade, mas também um momento de aprender, de brincar e de crescer.
       São os nossos filhos, uma das maiores lições de amor da nossa vida.
    São eles que carregam sobre os ombros a consciência e a esperança de uma nova humanidade.  


MOCHILAS ECOLÓGICAS 

 Feitas com materiais reutilizados: calças de ganga, roupa fora de uso, retalhos, fechos.



MOCHILA E LANCHEIRA


          ESTOJO
                                       

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

REUTILIZAR, UMA ATITUDE ACESSÍVEL A TODOS!

         


      A Natureza é perfeita! Revela a inesgotável capacidade de sabedoria de quem a projetou. 
       Quando olhamos para uma garrafa de vidro, à primeira vista, ninguém imagina que ela é feita de areia. A verdade é que alguém a idealizou, não é? 
      O mesmo acontece com as nossas simples criações, nos mais diversificados campos, tudo nasce de uma fonte: A INTELIGÊNCIA.
      Graças a Deus somos criaturas inteligentes, uns fazem de tudo para a aproveitar e desenvolvê-la, outros preferem estar quietos e ver o tempo passar e, ao sabor das marés, vão e voltam! Balançados pela distração e embalo anestesiante das ondas.  
      A reutilização de materiais é um campo de ação emergente, não por ser uma MODA, mas porque ATENUA o impacto do LIXO no AMBIENTE. 
      Todos queremos um PLANETA mais limpo, mas esta atitude não é só de quem governa, é de TODOS!

OS MEUS ÚLTIMOS ARTIGOS FEITOS COM JEANS USADOS 

MALA 





BIBE/ AVENTAL




domingo, 2 de julho de 2017

SUFLÊ DE BACALHAU

COM  MUITAS CLARAS


Vou guardando no congelador as claras que não utilizo de imediato. Após algumas semanas costumo ter muitas claras congeladas que posso utilizar em várias receitas, como esta que apresento hoje.


INGREDIENTES:

- 12 claras 
- 2 gemas
- 2 postas de bacalhau 
-1 ramo de salsa 
-1 colher de chá de flor de sal
- 2 colheres de AVEIA
-1 cebola
- 4 colheres de sopa de azeite.

PREPARAÇÃO:
Cozer o bacalhau e desfiar.
Pré-aquecer o forno a 180º.
Picar a cebola e a salsa. Alourar em azeite.
Bater as claras em castelo, com a flor de sal. Juntar as gemas, o bacalhau desfiado, a cebola com a salsa e a aveia.
Untar um tabuleiro com margarina e verter o preparado, espalhando-o de modo uniforme.
Levar ao forno por 15 a 20 minutos.

Servir com salada.